30.8.09

noites ritual, dia 2

Os Pontos Negros: ia já com a ideia pré-definida de que não ia gostar. Não adorei o concerto, mas até houveram momentos bastante vibrantes.
De Blind Zero nunca gostei por aí além, apenas uma ou outra. Então agora com a viragem electrónica do último álbum, nem se fala. Delirei porque antes deles entrarem no palco estava a dar a Blue Velvet, sou louca por essa música! Atiraram-se também à Where is my mind? dos Pixies.. É sempre estranho ouvirmos uma música que gostamos muito ser tocada e cantada por outras pessoas.
Mão Morta. Deles nem se fala. provavelmente são a minha banda predilecta a nível nacional e vê-los/ouvi-los é sempre um privilégio. Gostei mais no tsb, com quase 3h de concerto, mas ainda assim foi bastante bom. Apreciei profundamente as palavras cortantes de Adolfo Luxúria contra a privatização do palácio de cristal, que implica a destruição de árvores e do lago. É um assunto que me revolta a mim também (estou pronta para qualquer acção de protesto) e foi muito pertinente e nobre ele tê-lo abordado.

No palco secundário houve um projecto que gostei: Andrew Thorn. A voz do vocalista era singular e a nível instrumental também gostei, tive aquela sensação de estar a ouvir algo de novo.

2 comentários:

inês chaplin disse...

gostava de ter visto os mão morta e os pontos negros :3

mina wolf disse...

oh eu gostei muito dos pontos, amei mesmo! blind zero estive no convívio e mão morta não vi tudo, mas também não é coisa que me puxe muito..

..e obrigado pelo elogio à nova cara do blog :)

x
ps espero que vejas o comentário já q está num post mais antigo...